Agenda de eventos

Seminário Nacional – A Agenda das Resistências e as Alternativas para o Brasil – Um Olhar desde a Sociedade Civil

resistencia-democratica
Convite especial - Seminário Nacional

16 a 18 de agosto de 2017 - São Paulo, Brasil

Prezadas Companheiras e Companheiros,

A Abong, suas associadas Camp, Cese, CFEMEA e Iser Assessoria e as
organizações parceiras no âmbito da Articulação para o Monitoramento dos DH no Brasil CONVIDAM as organizações, movimentos sociais, redes de movimentos e plataformas de articulações para um SEMINÁRIO NACIONAL – A AGENDA DAS RESISTÊNCIAS E AS ALTERNATIVAS PARA O BRASIL – UM OLHAR DESDE A SOCIEDADE CIVIL, que pretende ser um momento de reflexão, debate e discussão coletiva frente à crise política, econômica e social na qual estamos vivendo, seus impactos para a democracia e os direitos humanos no país e, principalmente, para indicar qual deve ser o papel da sociedade civil organizada neste contexto.

Temos nos encontrado em vários espaços coletivos chamados pelas Frentes, por nossas próprias organizações e por iniciativas de universidades e de organizações da cooperação internacional. Embora importantes estes momentos muitas vezes têm servido mais para uma escuta de quem nos convida do que para a construção de estratégias e agendas comuns que possam nos reposicionar frente às profundas mudanças que estão ocorrendo, não só no Brasil, mas na América Latina e no Mundo.

Estas mudanças impactam a democracia e os direitos humanos de forma geral, mas também a capacidade real de execução dos projetos de nossas organizações, movimentos, redes e plataformas e, em alguns casos, impactam em nossa própria sobrevivência política. Compreender a gravidade e profundidade das mudanças e seus impactos a médio e longo prazo e, principalmente, construir alternativas comuns de como enfrentar este novo momento é de extrema importância.

As iniciativas que aqui se juntam para promover este debate - Projeto Novos Paradigmas, Sociedade Civil Construindo a Resistência Democrática e Articulação de Monitoramento dos Direitos Humanos no Brasil - buscam proporcionar este momento de articulação e reflexão que poderá ser aprofundado em outros momentos, caso seja de interesse de todas e todos.

Reservem a data. A participação de todas e todos será de fundamental para o debate. Informações de local, logística, apoio para deslocamento, estadia e alimentação enviaremos nos próximos dias.

Coordenação Colegiada

A AGENDA DAS RESISTÊNCIAS E AS ALTERNATIVAS PARA O BRASIL
UM OLHAR DESDE A SOCIEDADE CIVIL

16 agosto 2017

14hs – Acolhida e Abertura 

15hs - MESA 01 – AS CRISES

A crise política brasileira e seus efeitos sobre o debate das alternativas ao
desenvolvimento: um olhar sobre as condições de sustentação de uma transição ao modelo.

METODOLOGIA: A partir de uma provocação de falas dos presentes, as quatro pessoas convidadas farão uma reflexão sobre o tema. Após o debate em plenário terá como objetivo a identificação de análises comuns ou divergentes sobre as causas da crise e seus atores.

17hs - Debate em Plenário

17 agosto 2017

9hs - MESA 01 - AS RESISTÊNCIAS

Os paradigmas do bem viver e dos bens comuns nas práticas das organizações
populares e dos movimentos sociais no campo e na cidade
  • O Bem Viver no Fórum Social PanAmazônico: FASE Amazônia
  • Agricultura urbana e Bem Viver – Instituto Polis e RUA/BH
  • Praticas agroecológicas e bens comuns: Articulação Nacional de Agroecologia
  • Os comuns e o Feminismo: os corpos políticos das mulheres nas cidades - Frente
  • Nacional contra a criminalização das Mulheres e pela legalização do aborto
  • Juventudes em luta contra o extermínio – Coalisão nacional das juventudes
  • Os Direitos Humanos e a Democracia - Articulação para o Monitoramento dos DH
  • Morar como Direito Humano - Movimento dos Trabalhadores Sem Teto
  • Demarcação e defesa da biodiversidade – Articulação dos Povos Indígenas do Brasil
  • A diáspora dos povos de matriz africana – Frente de Defesa dos Povos de Matriz Africana
Debate em Plenário

12hs – Intervalo Almoço


União Europeia

14hs – OFICINAS DE DIÁLOGOS - O PAPEL DE CADA EXPERIÊNCIA DE LUTA E
ORGANIZAÇÃO NA CONSTRUÇÃO DE ALTERNATIVAS

METODOLOGIA: diálogos e discussões em grupos com o objetivo de aprofundar o debate sobre as experiências de cada movimento, rede e plataforma e sua relação com as alternativas ao modelo de desenvolvimento no Brasil. A definição dos temas das oficinas serão construídas durante a dinâmica do próprio Seminário Nacional.

19hs - MESA 03 – AS ALTERNATIVAS

Aula Pública - Convergências e Controvérsias sobre a construção de uma plataforma das alternativas ao modelo de desenvolvimento brasileiro.
  • Articulação dos Povos Indígenas do Brasil
  • Articulação Nacional de Agroecologia
  • Frente Brasil Popular
  • Frente Nacional de Defesa da Comunicação
  • Frente Povo Sem Medo
  • Plataforma para a Reforma do Sistema Político
  • Plataforma por um novo Marco Regulatório para as OSCs
18 agosto 2017

PAINEL COLETIVO - PASSOS PARA ESTRATÉGIAS E AGENDAS COMUNS
Sínteses para uma agenda/plataforma de alternativas ao modelo de desenvolvimento brasileiro

9hs – MESA 01 - Sínteses para uma plataforma das alternativas ao modelo de
desenvolvimento brasileiro

METODOLOGIA: Num ambiente que facilite uma vivencia diferenciada, e que facilite a práticas de linguagens alternativas, o debate inicia com a apresentação das ideias e propostas nascidas nas oficinas de diálogos e busca-se, em plenário, encontrar os pontos comuns, de convergências.

14hs - MESA 02 - Acordos para uma agenda e estratégias comuns

METODOLOGIA: Com base na apresentação das agendas de lutas de cada uma das organizações, movimentos, redes e plataformas presentes, o coletivo busca identificar momentos políticos e temas comuns que possam representar a unidade na diversidade e um acúmulo de forças em prol de um projeto comum.

17hs - Encerramento