Associadas no combate a COVID-19

FUNDAÇÃO ABRINQ - A quarentena acabou, mas as aulas ainda não voltaram. E agora?

not 30 06 2020 3

Mesmo com a flexibilização da quarentena em alguns estados do País, as aulas seguem sem previsão de retorno nas escolas. Ainda assim, notícias recentes divulgaram que a retomada, quando realizada, será gradual e de acordo com os dados de cada região.

Em meio a um cenário de tantas incertezas, muitas famílias precisaram se adaptar para estabelecer uma rotina de estudos para a criança em casa. Um desafio que ainda é presente para muitos lares brasileiros. Para auxiliar no desenvolvimento de milhares de meninos e meninas, a Fundação Abrinq reuniu cinco dicas de como criar uma rotina que priorize o aprendizado em casa. São elas:

1. Prepare um local

Preparar um ambiente calmo, limpo e, se possível, sem muito barulho ou distrações é fundamental para uma boa aprendizagem. Não precisa ser um cômodo ou sala isolada com características específicas, dispor de uma mesa e cadeira já ajudará a ter foco na hora de estudar.

2. Estabeleça horários específicos

Assim como na escola, é importante estabelecer horários fixos para os estudos e as pausas. Se possível, mantenha os horários que eram realizados pelas instituições de ensino, dessa forma a criança não sentirá tanta diferença com relação ao tempo de estudo proposto. Mas lembre-se: também é importante que a criança tenha horários para brincar e descansar ao longo do dia.

3. Use o que tem em casa

Muitas escolas disponibilizaram conteúdos online para os alunos darem andamento nas aulas enquanto estão suspensas, porém, o acesso à internet ou recursos para acessá-la ainda não é uma realidade para muitas famílias no Brasil. Nestes casos, usar os livros distribuídos pelas escolas pode ajudar.

Estimule a criança ou o adolescente a continuar fazendo as atividades que fazia na escola e incentive sempre a leitura de um capítulo ou exercício novo.

4. Se possível, esclareça dúvidas

Converse sempre com a criança ou o adolescente sobre o tema estudado no dia. Muitas vezes, a não compreensão do conteúdo está relacionada ao desânimo e desinteresse pelos estudos.

Se a dúvida persistir, anote-a para esclarecê-la junto ao professor futuramente.

5. Explique a importância dos estudos

Muitas crianças podem apresentar dificuldades de concentração ou desinteresse ao estudarem em casa. Por isso, é essencial explicar a importância de manter a rotina e adquirir novos aprendizados neste momento.

Essas práticas podem fazer a diferença enquanto as aulas não voltam ao modo presencial. Sendo assim, seja paciente e incentive constantemente os estudos em casa.

Fonte: Fundação Abrinq