Outras Notícias

Governo do Piauí adota o Telecurso como política pública de ensino

not fundacao 3 4 2014 3Os índices de distorção idade-série na rede de ensino do estado do Piauí estão entre os mais elevados do país: 42% dos estudantes do ensino fundamental e 58% do ensino médio estão fora da faixa de escolarização desejável, de acordo com dados da Secretaria de Educação do Estado.

Com o objetivo de mudar esse quadro, o Governo do Estado vai adotar a Metodologia da Telessala, bem sucedida em estados como Acre, Amazonas, Pernambuco, Rio de Janeiro e Rondônia, além de algumas capitais, para a correção da distorção idade-série. A parceria conta com o apoio do MEC.

O contrato foi assinado na quarta-feira, 26 de março de 2014, entre o Governo Estadual, por meio da Secretaria de Estado de Educação, e a Fundação Roberto Marinho. Participaram da assinatura o secretário de estado da Educação e Cultura, Átila de Freitas Lira, e a gerente-geral de Educação da Fundação Roberto Marinho, Vilma Guimarães.

Pelo acordo, serão formados 480 educadores da rede que atenderão a aproximadamente 8 mil alunos, matriculados nos anos finais do ensino fundamental (2 mil) e no ensino médio (6 mil) da rede estadual de ensino, na capital e no interior do Piauí, em duas fases.

A primeira fase contempla 4 mil estudantes, em 200 turmas, que iniciarão as aulas no primeiro semestre de 2014 com término previsto para dezembro de 2015. A segunda fase, com aulas que vão do primeiro semestre de 2015 a dezembro de 2016, reunirá outros 4 mil estudantes também em 200 turmas (sendo 50 turmas para o ensino fundamental – anos finais; e 150 turmas para o ensino médio - com cerca de 30 estudantes cada).

A inspiração para o nome do programa veio das pinturas rupestres encontradas na Serra da Capivara, Serra da Confusão e no Parque de Sete Cidades: “Presença”. Nas pinturas, a ideia de que estamos continuamente inventando meios para deixar uma mensagem para o mundo. Somos nós que estamos na rocha, nas matas, nas águas e nas histórias. Estamos presentes.

Telecurso Piauí

O Projeto Telecurso Piauí envolverá os estudantes em defasagem idade-série da rede estadual de ensino, no Ensino Fundamental anos finais e no ensino médio.

No ensino fundamental, esta ação proporcionará a correção do fluxo escolar. O propósito é aumentar a oportunidade série-ano, reduzindo a distorção, para reorganizar a trajetória escolar desses estudantes. Esse procedimento regulariza a situação desse grupo de estudantes, motivando a ida para o ensino médio.

No ensino médio, o objetivo é que este estudante possa concluir sua escolarização básica, e consequentemente possa fortalecer a recomposição de competências e habilidades, que validam as disposições para aumento da autoestima e o desejo de realizar seus projetos pessoais. Quanto à escola, pretende-se que o desenvolvimento dessas ações contribua para a redução do ciclo de reprovações e repetências que inevitavelmente conduzem ao fracasso escolar.

Em 2010, o Estado do Piauí apresentava a terceira maior distorção idade-ano do país. No Ensino Médio, o percentual de jovens de 15 a 17 anos nessa modalidade de ensino somava 34,4%. Uma das justificativas para tal resultado é a falta de acesso às escolas de ensino médio principalmente na zona rural, onde somam 40% da população. No ensino fundamental a distorção era de 40,4%. Ainda, segundo os resultados do IDEB, o Piauí apresentou crescimento nos três últimos anos, atingindo o percentual acima da meta prevista.

Os dados apontados no Termo de Referência da SEDUC para implantação de projeto de correção da distorção idade-ano revelam que 40,4% dos alunos do Ensino Fundamental e 54,2% dos alunos do Ensino Médio estão fora da faixa de escolarização desejável.

Fale com a Assessoria de Imprensa
Tel.: (21) 3232-8864 / 3232-8862 / 3232-8901 / 3232-8861 / 3232-8801
Ou pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.


Fonte: Fundação Roberto Marinho