Outras Notícias

Planejamento Financeiro no Terceiro Setor

not 29 08 2019 3

O planejamento financeiro no Terceiro Setor se refere ao processo de gestão direcionado para que as entidades sem fins lucrativos disponham dos recursos necessários para saldar, em tempo hábil, os compromissos assumidos com terceiros, e se possível aumentar o seu patrimônio.

A boa gestão financeira das Organizações da Sociedade Civil – OSCs não se limita a uma captação de recursos eficaz. Também é necessário que existam informações tempestivas e confiáveis sobre a disponibilidade dos recursos envolvidos para, por exemplo, o pagamento de pessoal e encargos sociais decorrentes das relações de trabalho, para a aquisição de equipamentos, materiais e móveis, para a realização das ações, e principalmente para investimentos e composição de reservas e fundos que darão o suporte necessário para a sustentabilidade organizacional.

Até mesmo os programas de capacitação da equipe (colaboradores e voluntários), bem como a captação de recursos junto a doadores e financiadores, podem vir a exigir algum investimento por parte a entidade.

Portanto, o atendimento a todas essas demandas exigirá a existência de disponibilidade financeira, de forma imediata ou futura, para a sua concretização.

Com base nesses pontos, podemos afirmar que o planejamento financeiro envolve o processo de obtenção e aplicação de recursos de forma eficiente, mas não somente visando determinado projeto, atividade ou período. Deve ser pensado e formatado também vislumbrando o futuro da instituição.

O recomendável é que esse planejamento seja dividido em duas fases: de longo e de curto prazo.

Planejamento Financeiro de Longo Prazo

O processo de planejamento financeiro tem início com a elaboração de planos de longo prazo, também chamados de planos estratégicos, que buscam alcançar períodos de 2 a 10 anos. A partir da sua formulação é possível a orientação e a estruturação de planos relativos a períodos menores, chamados de planejamentos de curto prazo.

Neste planejamento devem ser estabelecidos os objetivos macros da entidade de acordo com sua missão, visão e valores, através da definição do rumo que deverá seguir, bem como da avaliação prévia do ambiente externo no qual ela irá operar, podendo assim traçar estratégias para alcançar as finalidades propostas.

Este plano orienta o ordenamento das alternativas e a priorização dos objetivos. Quando organizado e sistematizado de forma adequada, também permite quantificar os benefícios financeiros de pagamentos antecipados, a possibilidade de aplicações financeiras ou de investimentos, os custos e necessidades de utilização de recursos próprios ou de financiamentos de terceiros para a execução de projetos e atividades, possibilitando que as metas traçadas venham a ser alcançadas.

Partindo dessas premissas é possível identificar que a elaboração de um bom planejamento de longo prazo é indispensável, pois ele é importante instrumento no processo de tomada de decisão de âmbito estratégico para as diversas esferas da organização.

Planejamento estratégico

Planejamento Financeiro de Curto Prazo

Os planos financeiros de curto prazo, também conhecidos como operacionais, correspondem à implementação dos objetivos estratégicos que foram previstos para a instituição no plano de longo prazo. Neles são estipuladas as providências financeiras mais imediatas, e a previsão dos impactos causados por essas ações.

Os planos de curto prazo correspondem à análise das decisões que afetam diretamente os recursos disponíveis (caixa, contas correntes, e aplicações financeiras de curto prazo) e também os valores a receber e a pagar com efeitos sobre a organização dentro do prazo geralmente de 1 ano.

Portanto, as finanças de curto prazo fornecem os melhores subsídios para análises técnicas quanto, por exemplo, ao nível de caixa que deve ser mantido em espécie ou no banco para o pagamento das contas, quanto de materiais ou de equipamentos será possível adquirir a vista ou a prazo, ou ainda quanto de antecipação ou empréstimos pode ser concedido aos projetos ou atividades com recursos em atraso.

O planejamento financeiro de curto prazo propicia também o controle das operações cotidianas através de uma gestão mais segura das contas a pagar e a receber. Para tanto, utiliza-se como uma das mais importantes ferramentas de gestão financeira: o orçamento.

Ebook controle, contabilidade e transparência

O planejamento orçamentário nas OSCs será abordado em nosso próximo artigo.

Até mais!

Fonte: Nossa Causa