Outras Notícias

Goldman Sachs Foundation oferece curso online gratuito para empreendedoras

not 21 05 2020 6

Foto: Hours via Getty Images

As alunas vão aprender sobre concorrência, expansão de negócio, financiamento, finanças, gerenciamento, liderança, marketing, negociação e planejamento financeiro

SÃO PAULO – Para ajudar os pequenos negócios liderados por mulheres, a Goldman Sachs Foundation liberou gratuitamente pela internet o curso 10.000 Women. O programa é composto por dez módulos que abordam: expansão de negócios, financiamento, finanças, fundamentos de clientes e concorrência, gerenciamento, liderança, marketing e vendas, negociação, planejamento financeiro e operação.

Cada um deles tem a duração de cerca de cinco horas. Eles não precisam ser assistidos numa ordem específica.

– A aluna tem a flexibilidade de escolher a qual módulo assistir primeiro, porque eles são independentes. Também não existe tempo limite para acessá-los – diz Maria Cristina Sampaulo, líder de diversidade e inclusão para América Latina do Goldman Sachs.

O conteúdo foi desenvolvido pela Universidade de Leeds, uma das dez melhores do Reino Unido. Para participar, a empresária precisa fazer o cadastro por meio da plataforma Coursera. As aulas estão disponíveis em espanhol, inglês e português.

Após terminar todos os módulos, a aluna recebe o certificado de conclusão e entra para a comunidade Goldman Sachs 10.000 Women Alumni, que permite a participação em eventos, programas de bolsas de estudo e treinamentos oferecidos pela Goldman Sachs Foundation.

– O curso é uma oportunidade de grande escala para elas se prepararem por completo e fazerem parte da rede alumni – afirma Paula Moreira, diretora da área comercial da mesa de renda fixa do Goldman Sachs do Brasil.

Segundo Paula, o conteúdo oferecido é uma espécie de MBA de curta duração:

– É uma oportunidade para as empreendedoras. O curso oferece as ferramentas necessárias para liderar e expandir o negócio – diz Paula.

Iniciativa de utilidade pública liderada por Época Negócios, Extra, O Globo, PEGN e Valor Econômico, com apoio de Stone

Fonte: O Globo