Outras Notícias

Baseado em critérios de gestão e transparência, Instituto Doar divulga resultados do Prêmio Melhores ONGs

not 17 12 2020 5

Muitas das contribuições financeiras registradas pelo Monitor das Doações durante a pandemia foram gerenciadas por organizações da sociedade civil (OSCs). Por atuarem diretamente nos territórios, elas têm maior conhecimento sobre regiões e pessoas mais vulneráveis que mais precisam do apoio durante a crise. Entretanto, diversas pesquisas mostram que pouco desses recursos foram destinados a, justamente, fortalecer as OSCs para que continuem desenvolvendo seu trabalho.

É em meio a esse cenário de atuação expressiva e incertezas quanto ao futuro que foram divulgados os resultados de mais uma edição do Prêmio Melhores ONGs. Realizada anualmente pelo Instituto Doar, a premiação tem como objetivo reconhecer as melhores organizações da sociedade civil do país com base em suas estratégias e ações em cinco grandes temas relacionados a transparência e gestão: Causa e Estratégia de Atuação, Representação e Responsabilidade, Gestão e Planejamento, Estratégia de Financiamento e Comunicação e Prestação de contas.

Esse reconhecimento foi criado pois a equipe do Prêmio acredita que mostrar boas práticas e padrões adequados de gestão, planejamento e transparência seguidos por organizações brasileiras pode incentivar que mais pessoas doem tempo e dinheiro.

Marcelo Estraviz, fundador do Instituto Doar e criador do Prêmio, explica que cada edição da premiação tenta tirar uma foto da realidade que o país está vivenciando no momento. As inscrições para a quarta edição foram encerradas justamente quando os números da pandemia estavam crescendo no Brasil. Por isso, Marcelo relata que a equipe da premiação pode testemunhar muitos casos de reinvenção.

Captação de recursos

A captação de recursos foi uma área bastante afetada durante a pandemia. De acordo com a pesquisa Impacto da COVID-19 nas OSCs brasileiras: da resposta imediata à resiliência, 73% das respondentes relatam que um dos maiores impactos negativos da crise foi a diminuição na captação, ao passo que 65% preveem redução no futuro.

Marcelo afirma que muitas organizações comentaram com a equipe do Prêmio que nunca obtiveram tantas doações e, ao mesmo tempo, tão pouco recurso ‘carimbado’, ou seja, não atrelado a qualquer ação finalística ou projeto, podendo ser aplicado da forma que a instituição decidir. “A meu ver, a crise gerou entre as organizações uma aceleração da busca de apoios, patrocínios e doações institucionais, livres, não carimbadas.”

Por estar envolvido na análise anual das organizações inscritas no Prêmio, Marcelo comenta que, em todas as edições, as 100 melhores ONGs escolhidas têm, geralmente, departamentos de captação de recursos bem constituídos, com profissionais dedicados integralmente à tarefa de diversificar fontes. Muitos recursos, entretanto, vêm de eventos e doações de indivíduos. “Como neste ano os eventos basicamente não ocorreram, houve uma aceleração para as doações online e uma reinvenção ainda maior na diversificação de recursos”, avalia.

Diversificando as inscrições

Anualmente, além da lista das 100 melhores organizações que receberam maior pontuação nos cinco temas avaliados, são divulgados os vencedores em algumas categorias, como a melhor organização de 2020, as melhores de cada causa – como saúde e educação -, as melhores por região ou estado e as melhores organizações de pequeno porte.

Neste ano, mais de mil organizações se inscreveram – 670 inscrições válidas -, quantidade similar ao ano passado, antes da pandemia. A ideia é, entretanto, multiplicar os números e diversificar as áreas de atuação das organizações, para que não se inscrevam somente aquelas que acreditam ter chances de figurar entre as melhores, explica Marcelo.

“Por isso, decidimos criar uma premiação especial para as dez melhores ONGs de menor porte e pretendemos seguir nesse modelo. Mas, na verdade, o reconhecimento delas já acontece desde a segunda edição do prêmio, quando percebemos que havia uma tendência que os vencedores fossem de maior porte e do eixo sul do país. Este ano desenvolvemos com nosso parceiro AMBEV Voa uma política de divulgação nas mídias regionais no período de inscrições, o que ampliou a diversificação. Pela primeira vez, tivemos inscritos de todos os estados”, comemora.

Efeitos da pandemia

Para Marcelo, os aprendizados obtidos no contexto da crise não se limitam às organizações que se inscreveram no Prêmio, mas à própria equipe da premiação. A maior lição, segundo ele, é a reinvenção sem perder a essência. O Instituto Doar precisou pensar em novas formas de comunicar os vencedores de 2020 sem a realização de um evento presencial.

“Criar um evento do zero, no formato virtual, que não fosse a filmagem do encontro presencial, não é fácil. Mas decidimos seguir assim e dividimos o evento em dois: uma parte destinada à divulgação das 100 melhores ONGs e outra à cerimônia de premiação. Esse modelo virtual nos permitiu aumentar a capacidade. A premiação do ano passado aconteceu em um teatro para 600 pessoas. Este ano foi para milhares”, explica.

A mudança também possibilitou que o Guia das Melhores ONGs, antes em papel, fosse transformado em um portal online, que permite, inclusive, que as pessoas naveguem pela listagem das organizações selecionadas, conheçam suas formas de atuação e façam uma doação. “Divulgamos o portal juntamente com o anúncio das 100 melhores, o que possibilitou que elas usassem o guia online em suas campanhas do Dia de Doar 2020.”

Conheça as vencedoras  

Melhores ONGs: Na lista das 100 melhores organizações – que não corresponde a um ranking, mas a uma listagem em ordem alfabética das instituições com maior pontuação nos cinco temas avaliados -, estão o Instituto Verdescola e SITAWI Finanças do Bem, ambas associadas ao GIFE e reconhecidas em edições anteriores do Prêmio.

Melhor ONG de 2020: Amigos do Bem

ONGs por causa:

– Assistência Social: Rede Cidadã

– Criança e Adolescente: Instituição de Incentivo à Criança e Adolescente de Mogi Mirim

– Cultura: Associação Cultural Pisada do Sertão

– Desenvolvimento Local: Engenheiros Sem Fronteiras

– Direitos Humanos: Escola de Gente

– Educação: Associação Cidadão Pró-Mundo

– Esporte: Instituto Futebol de Rua

– Geração de renda: Artemísia Negócios Sociais

– Meio Ambiente / sustentabilidade: Idesam

– Saúde: Instituto do Câncer Infantil.

Região ou estado:

– Centro-Oeste: APAE Anápolis

– Norte: Idesam

– Nordeste:

Instituto Nordeste Cidadania

Centro Educação Popular e Formação Social (CEPSFS)

– Sul: Bairro da Juventude dos Padres Rogacionistas

– Sudeste: Centro Educacional Assistencial Profissionalizante (CEAP).

10 Melhores ONGs de pequeno porte:

– Centro Cidadania

– Associação Assistencial Jesus Chama-te no Caminho para a Luz

– Associação dos Amigos da Cultura de Niquelândia

– Associação VAMOS!

– Cabelegria

– Casa Arte Vida

– Engenheiros sem Fronteiras Brasil

– Minha Campinas

– Refúgio 343

– Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística

Fonte: GIFE