Outras Notícias

Brasileiros na Austrália arrecadam alimentos para comunidades no Brasil

not 05 01 2021 4
Imagem: Divulgação

Grupo criou a iniciativa #lembradecasa e já arrecadou verba suficiente para doar mais de mil cestas básicas para comunidades brasileiras

A terapeuta Emilie da Silva Stradford, de 41 anos, movimentou a comunidade brasileira na Austrália para arrecadar mais de 100 mil reais para a compra de cestas básicas.

As cestas são destinadas a famílias vulneráveis na pandemia que residem em comunidades no Brasil.

Natural de São Paulo, Emilie está há 15 anos em Sidney. Ela criou o projeto #lembradecasa com o objetivo de convidar expatriados a ajudarem a mudar o cenário da fome no Brasil.

A decisão para iniciar o projeto foi tomada após seu pai adoecer durante a pandemia. Com a recuperação dele, Emilie sentia que precisava agradecer de alguma forma.

Quando encontrou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que apontavam que 10,3 milhões de brasileiros vivem em situação de insegurança alimentar grave, soube o que precisava fazer.

Em novembro, o projeto #lembradecasa foi lançado propondo a arrecadação para a compra de mil cestas básicas através de uma plataforma de financiamento coletivo.

Contando com uma equipe de 13 voluntários na Austrália, desafios não faltaram. Além do fuso horário com 14 horas de diferença, a logística também pesou.

A equipe teve o cuidado de selecionar as ONGs e de planejar as entregas, pensando em como chegar em áreas onde não passam caminhões, por exemplo.

Para a escolha das ONGs, a organização selecionou projetos em três dos quatro estados em que a fome é mais crítica, com base nos dados do IBGE: São Paulo, Bahia e Maranhão.

A campanha tinha como slogan “Cada centavo vira comida para o Brasil”. Desta forma, outra tarefa foi fazer com que o custo da operação não ‘comesse’ o valor arrecadado.

Foi necessário encontrar uma empresa no Brasil que entregasse as cestas de forma gratuita por todo o país.

Outro obstáculo foi a variação cambial. No início das arrecadações, em 13 de novembro, o dólar australiano valia cerca de R$ 4.

Após três semanas de campanha, a moeda havia caído para menos de R$ 3,80.

Para evitar perdas, a equipe do projeto contou com o apoio de uma empresa brasileira de corretagem cambial que “segurou o câmbio” no patamar do início do crowdfunding.

No total, a campanha conseguiu arrecadar 28.300 dólares australianos, o equivalente a quase 110 mil reais.

O montante rendeu a compra de 1.282 cestas básicas, ultrapassando a meta inicial de mil unidades, e vai alcançar mais de 5 mil pessoas.

A campanha recebeu doações de expatriados que vivem na Austrália, amigos e empresas de brasileiros, mas também de quem mora em outros países, como Estados Unidos, Canadá, Alemanha e Holanda.

Vale pontuar que as cestas foram distribuídas entre projetos de forma proporcional ao mapa da fome do IBGE.

No total, cinco instituições foram contempladas: Projeto Bantu, de Vera Cruz (BA); Comunidade Paulista, de Paratinga (BA); Projeto Mandingueiros do Amanhã, de São Luís (MA); Projeto Estrela do Natal, de Guaianases (SP) e as comunidades assistidas pela equipe do Padre Júlio Lancellotti, de São Paulo (SP).

A distribuição vem sendo realizada pelas ONGs, enquanto a equipe da Austrália acompanha tudo por meio de vídeos.

No momento, a equipe do #lembradecasa já iniciou o processo para o registro como ONG no Brasil e na Austrália.

Fonte: Observatório do 3º Setor