Outras Notícias

Pesquisa mostra que doadores querem fazer a diferença para alguém

not 18 07 2022 10

Os entrevistados afirmam que, acreditar na causa e querer fazer a diferença são os principais motivos para as doações

O Instituto Conecta Brasil realizou uma pesquisa sobre doações em redes sociais, o objetivo era traçar o perfil de doadores em todo o país. Os resultados mostram que grande parcela dos entrevistados acreditam na causa que apoiam e desejam fazer a diferença para alguém.

A pesquisa aponta que 58% dos doadores consideram o público que será beneficiado com a ajuda, diferente dos 28% que levam em conta a causa relacionada à doação. Já entre as respostas qualitativas, destaca-se a frase “suprimir necessidades básicas do ser humano”.

Segundo a analista de relacionamento do Conecta Brasil, Lina Bocchi, há uma sensibilização quanto às carências do próximo. “É comum que o doador se identifique com alguma causa específica que lhe cause comoção e, consequentemente, busque iniciativas que assistam aquele determinado grupo”.

Segundo o estudo, as causas com maior identificação do público são: saúde, assistência social e educação. No entanto, apenas 32% dos entrevistados doam mensalmente, o que é um número baixo em comparação com a demanda social que cresceu na pandemia.

Bocchi conta que o número de pessoas em situação de insegurança alimentar, obtidos pelo Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, são alarmantes e pedem ações urgentes. “Em pouco mais de um ano, a insegurança alimentar subiu de 9% para 15,5%, que já totaliza 125,2 milhões de pessoas sem acesso a alimentos de forma a satisfazer suas necessidades”.

A analista ressalta a importância de iniciativas na esfera pública e privada que promovam a cultura da doação no país. “Mesmo que tenhamos um quadro relativamente positivo em nossa pesquisa, ainda temos um caminho a percorrer. É neste sentido que mora o propósito do Conecta Brasil, pois a plataforma divulga campanhas de arrecadação de instituições aprovadas em todo o país, seu alcance digital é capaz de ampliar causas para doadores Brasil afora”.

Fone: Observatório 3º Setor