Outras Notícias

Economia circular: programa Tampinha Legal mobiliza terceiro setor

O programa Tampinha Legal coleta tampas plásticas em todo o Brasil e destina o dinheiro arrecadado para entidades assistenciais parceiras

not 24 01 2023 4
Foto: Divulgação | Instituto SustenPlást

A produção de plástico reciclado no Brasil aumentou em 14,7% em 2021, superando a marca de 1 milhão de toneladas. Ainda assim, somente 23,4% dos resíduos plásticos pós-consumo foram reciclados no país. Os dados são de uma pesquisa encomendada pelo Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast).

Diante deste cenário, o Programa Tampinha Legal busca promover a transparência quanto aos materiais de plástico e seu destino pós uso. Realizado pelo Instituto SustenPlást, em parceria com o Movimento Plástico Transforma, a iniciativa destina todo o dinheiro arrecadado com os materiais para entidades assistenciais parceiras. Em seis anos de atuação, Tampinha Legal já arrecadou mais de mil toneladas de tampas plásticas e destinou mais de R$ 2,5 milhões para 313 entidades. O dinheiro contribui para a aquisição de medicamentos, equipamentos e alimentos, além de custear tratamentos de saúde e projetos educacionais.

“Assim como aprendemos a fechar a torneira e apagar a luz, precisamos aprender a retornar para a indústria todos os nossos resíduos recicláveis, inclusive o plástico. Vemos que com a menor parte de uma embalagem, a tampa, conquistamos valores e volumes extraordinários, resultado do trabalho de verdadeiros exércitos de mãos voluntárias que compreendem que sustentabilidade é atitude”, destaca Simara Souza, gerente do Instituto SustenPlást.

Ao todo, são oito pontos de coleta distribuídos nos estados do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Bahia, Alagoas e Pernambuco.

O Instituto SustenPlást lançou, recentemente, o programa Copinho Legal, que coleta copos descartáveis de plástico e destina os recursos obtidos para entidades assistenciais parceiras. Os programas socioambientais têm caráter educativo em economia circular, incentivando o melhor uso dos recursos naturais, e estão alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 12 e 13 da Agenda 2030 da ONU. As metas promovem, respectivamente, o consumo e produção responsáveis e a ação contra a mudança global do clima.

Fonte: Observatório 3º Setor