Outras Notícias

6 dicas para quem quer ser voluntário no Terceiro Setor

not 23 07 2021 7

De acordo com o IBGE, quase 7 milhões de brasileiros realizam algum tipo de trabalho de voluntário. Se você ainda não faz ações de voluntariado, mas tem vontade de começar, confira as nossas dicas!

Como ser tornar um voluntário

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua) 2019 revelou que 6,9 milhões de pessoas no país realizavam algum tipo de trabalho voluntário, naquele ano. No total, os brasileiros dedicavam 6,6 horas por semana ao voluntariado.

Apesar do isolamento e da necessidade de distanciamento social devido à pandemia da Covid-19, muitas organizações, projetos sociais e hospitais encontraram no espaço digital uma alternativa para continuar seus trabalhos e a ajuda de voluntários neste processo foi fundamental.

Quer contribuir com as organizações do Terceiro Setor, mas não sabe como ou onde começar? O Observatório do Terceiro Setor preparou um passo a passo para você!

Passo a passo do voluntariado:

Conheça a sua causa – Existe um tema que te sensibiliza mais que os outros e para o qual você já realiza doações ou gostaria? Antes de sair buscando a vaga ideal, é importante saber com quais causas você tem mais afinidade. As opções são muitas e envolvem, por exemplo, saúde, educação, cultura, proteção animal e meio ambiente. O IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social desenvolveu uma plataforma justamente para ajudar as pessoas a descobrirem a sua causa. Clique aqui para fazer o teste.

Entenda a sua rotina – Descobriu a causa que te mobiliza? Ótimo! Mas, antes de se comprometer com alguma ONG ou projeto, você precisa saber quanto tempo e de que forma poderá colaborar com eles. Faça um planejamento do seu dia a dia e descubra quanto tempo você tem disponível para se dedicar ao voluntariado. Também liste as suas habilidades para saber como você poderá contribuir com as organizações. É neste ponto que você deve perceber se é mais adequado para um voluntariado presencial ou a distância.

Saiba os seus limites – Não assuma tarefas não condizentes com as suas habilidades e não se cobre demais. Responsabilidade, pontualidade e comprometimento são fundamentais para tornar a experiência do voluntariado positiva, tanto para a ONG como para o voluntário.

Pesquise sobre a ONG ou projeto – Faça pesquisas, entre em contato e busque todas as informações possíveis sobre a organização ou o projeto com o qual você quer colaborar. Qual a história, causa e valores dessa organização? Eles condizem com o que você busca? Essas informações vão te ajudar a fazer uma escolha consciente e evitar uma possível desistência do trabalho voluntário. O guia da Atados  ressalta que é importante saber dialogar, ser transparente com a ONG e ser “flexível e respeitar a diversidade de valores, opiniões e crenças existentes na instituição”.

Faça uma busca ativa – O Brasil conta com algumas plataformas populares e confiáveis que disponibilizam vagas de voluntariado. A Atados é uma plataforma social que conecta pessoas e organizações com objetivo de facilitar esse “match”. A plataforma tem alcance nacional e oferece uma variedade de vagas em diversos setores. Outra plataforma é a FreeHelper, uma startup social sem fins lucrativos que busca conectar voluntários a organizações. Cada uma tem seu processo interno e cabe à ONG selecionar o voluntário. Contudo, as plataformas não são obrigatórias. No seu bairro pode ter algum projeto ou ONG que precise de voluntários e que não esteja nesses sites.

Busque uma rede – Ter contato com pessoas que já fazem algum trabalho voluntário também pode te ajudar. Existem centros de voluntariado que buscam apoiar e incentivar a ação solidária, além de fornecer formação e capacitação, tanto para pessoas físicas, como empresas e ONGs. Entre os centros mais populares está o Centro de Voluntariado Universitário (CVU) Brasil, uma associação sem fins lucrativos, políticos e religiosos, que atua em todo o território nacional e busca fomentar o trabalho voluntário em qualquer faculdade ou área universitária pelo país com núcleos em São Paulo e Minas Gerais. Procure saber se a sua própria comunidade não tem um Centro. Nesse espaço você poderá encontrar orientações, formação e ser direcionado para uma vaga de voluntariado.

Fonte: Observatório do 3º Setor