Outras Notícias

Sim, o Brasil tem jeito! - artigo de Dora Silvia Cunha Bueno, publicado no jornal Voz da Terra - Assis/SP


not 04 08 2017 1

Sim, o Brasil tem jeito!

Por Dora Silvia Cunha Bueno

Vi­ven­cia­mos, di­a­ria­men­te, ações de al­tru­ís­mo, de aju­da ao pró­xi­mo, de cons­tru­ção de uma so­ci­e­da­de mais jus­ta e dig­na e, nes­te cam­po, as en­ti­da­des do Ter­cei­ro Se­tor tem ti­do um pa­pel re­le­van­te. Sim, is­to exis­te e es­tá bem ar­ra­i­ga­do ao jei­to bra­si­lei­ro de ser, ape­sar de vi­ver­mos mo­men­tos de in­cer­te­za, de fal­ta de va­lo­res, re­pu­ta­ção em bai­xa e um de­sâ­ni­mo que le­va à di­mi­nu­i­ção da au­to­es­ti­ma. Con­tu­do, sem­pre, em qual­quer si­tu­a­ção, é im­por­tan­te ver­mos a me­ta­de do co­po cheia.

Não é à toa que to­dos que aqui vi­si­tam fi­cam apai­xo­na­dos por nos­sa gen­te hos­pi­ta­lei­ra. Con­tu­do, in­fe­liz­men­te, há con­ta­mi­na­ção do cli­ma pe­sa­do jun­to ao nos­so po­vo. E não po­de­mos fi­car pas­sí­veis fren­te ao que es­tá ocor­ren­do. Ur­ge que se res­ta­be­le­ça o com­por­ta­men­to cal­ca­do na éti­ca e in­te­gri­da­de em to­dos os seg­men­tos de nos­sa so­ci­e­da­de.

Ve­mos que o go­ver­no, em to­das as es­fe­ras – mu­ni­ci­pal, es­ta­du­al e fe­de­ral –, sem o apoio da so­ci­e­da­de ci­vil, tem ti­do di­fi­cul­da­des pa­ra su­prir a to­ta­li­da­de das ne­ces­si­da­des da po­pu­la­ção. E, na atu­al con­jun­tu­ra, on­de a ar­re­ca­da­ção de re­cur­sos di­mi­nu­iu, me­nos ain­da. Pa­ra tal, a so­ci­e­da­de de­ve se or­ga­ni­zar – co­mo vem fa­zen­do e de­ve fa­zer ca­da vez mais – e agir sem­pre em con­so­nân­cia com o po­der pú­bli­co, abrin­do fren­tes de di­á­lo­go e de par­ti­ci­pa­ção con­jun­ta. É por es­te mo­ti­vo que o Ter­cei­ro Se­tor vem ga­nhan­do im­por­tân­cia cres­cen­te. Di­go in­clu­si­ve que, atu­al­men­te, é im­pres­cin­dí­vel. Sem ele, es­ta­rí­a­mos em si­tu­a­ção ca­la­mi­to­sa.

Fun­da­ções e As­so­cia­ções, cha­ma­das de Or­ga­ni­za­ções da So­ci­e­da­de Ci­vil (OSCs), que com­põe o Ter­cei­ro Se­tor, vêm tra­ba­lhan­do pa­ra a me­lho­ria da qua­li­da­de de vi­da no Bra­sil nos vá­rios se­to­res: as­sis­tên­cia so­ci­al, edu­ca­ção, sa­ú­de, pes­qui­sa e tec­no­lo­gia, cul­tu­ra, meio am­bi­en­te, en­tre ou­tros. Além de ser pro­ta­go­nis­ta de mu­dan­ças, o Ter­cei­ro Se­tor pro­mo­ve o di­á­lo­go a par­tir das rei­vin­di­ca­ções da po­pu­la­ção.

Nu­ma de­mo­cra­cia ca­da vez mais con­so­li­da­da e ma­du­ra co­mo a nos­sa, pes­so­as têm ca­da vez mais voz e vez e de­vem exer­cer o seu di­rei­to ple­no a par­ti­ci­par das dis­cus­sões, ações e de­ci­sões do go­ver­no. E, por is­so, ca­nais de di­á­lo­go são vi­tais.

Da­dos do Ma­pa das Or­ga­ni­za­ções da So­ci­e­da­de Ci­vil ela­bo­ra­do pe­lo Ipea (Ins­ti­tu­to de Pes­qui­sa Eco­nô­mi­ca Apli­ca­da) apon­tam que, em 2015 (da­do mais atu­al dis­po­ní­vel), o nú­me­ro de Fun­da­ções e As­so­cia­ções sem fins lu­cra­ti­vos era de 391 mil. A en­ti­da­de que pre­si­do, a As­so­cia­ção Pau­lis­ta de Fun­da­ções – APF, reú­ne Fun­da­ções com re­le­van­tes ser­vi­ços pres­ta­dos à so­ci­e­da­de e tra­ba­lha com gran­de em­pe­nho na de­fe­sa da cau­sa des­te seg­men­to.

Anual­men­te, re­a­li­za­mos even­to pa­ra re­u­nir as­so­cia­dos e in­te­res­sa­dos no te­ma que de­se­jam ser pro­ta­go­nis­tas da his­tó­ria do Bra­sil. Nes­te ano, o en­con­tro – que ocor­re em 29 de agos­to, das 8h às 12h30 no Es­pa­ço So­ci­o­cul­tu­ral do Ciee no Itaim Bi­bi, em São Pau­lo – tem co­mo te­ma: “Éti­ca e In­te­gri­da­de pa­ra um No­vo Bra­sil – Com­pli­an­ce: co­mo en­fren­tar os ris­cos do am­bi­en­te re­gu­la­tó­rio e con­tri­bu­ir pa­ra a cri­a­ção de no­vas prá­ti­cas ins­ti­tu­ci­o­nais no Pa­ís”. O de­ba­te, exa­ta­men­te nes­te mo­men­to cru­ci­al que vi­ve­mos, con­ta­rá com par­ti­ci­pan­tes re­no­ma­dos na área com o ob­je­ti­vo de dis­cu­tir as bo­as prá­ti­cas de ges­tão nas Fun­da­ções e en­ti­da­des do Ter­cei­ro Se­tor. O ter­mo Com­pli­an­ce, em re­su­mo, diz res­pei­to às re­gras que de­vem ser se­gui­das e co­mo de­tec­tar ou tra­tar qual­quer des­vio ou in­con­for­mi­da­de que pos­sam ocor­rer.

E é is­to que o nos­so Bra­sil pre­ci­sa: res­pei­tar re­gras, di­re­tri­zes, de­ve­res e ins­ti­tu­i­ções pa­ra que pos­sa­mos, to­dos jun­tos, lu­tar por mais jus­ti­ça so­ci­al, di­rei­tos ple­nos e uma vi­da mais dig­na. Pa­ra tal, o Ter­cei­ro Se­tor de­ve ser ca­da vez mais atu­an­te, res­pei­ta­do, co­nhe­ci­do e re­co­nhe­ci­do. Nos­so gru­po, na APF, tra­ba­lha nes­te sen­ti­do, va­lo­ri­zan­do o tra­ba­lho e atu­a­ção das Fun­da­ções pa­ra o bem de nos­so Pa­ís e da so­ci­e­da­de bra­si­lei­ra. Sim, o Bra­sil tem jei­to; bas­ta que­rer­mos e to­dos agir­mos pa­ra tal.

(Do­ra Sil­via Cu­nha Bu­e­no, pre­si­den­te da di­re­to­ria da As­so­cia­ção Pau­lis­ta de Fun­da­ções – APF, pre­si­den­te da Con­fe­de­ra­ção Bra­si­lei­ra de Fun­da­ções – Cebraf, as­ses­so­ra pa­ra as­sun­tos par­la­men­ta­res da Fe­de­ra­ção Bra­si­lei­ra de As­so­cia­ções Só­cio Edu­ca­cio­nais de Ado­les­cen­tes – Febraeda e di­re­to­ra vi­ce-pre­si­den­te do Fó­rum Na­ci­o­nal das Ins­ti­tu­i­ções Fi­lan­tró­pi­cas – Fonif)

Fonte: Jornal Voz da Terra - Assis/SP